Passo a Passo para Escrever Cartas de Motivação, Essays ou Personal Statements

Passo a Passo para Escrever Cartas de Motivação, Essays ou Personal Statements

Preencha os campos e aumente suas chances de admissão em UNIVERSIDADES DO EXTERIOR.

Não enviamos spam. Seu email está 100% seguro!

Tipos de intercâmbio: 13 opções de cursos no exterior

Tipos de intercâmbio: 13 opções de cursos no exterior

Em 2018, 365 mil estudantes brasileiros embarcaram para fazer algum curso ou intercâmbio no exterior. Existem várias formas de estudar no exterior, desde cursos de duas semanas até os graus acadêmicos mais avançados como doutorado. Confira neste post 16 tipos de intercâmbio e cursos no exterior incríveis!

Tipos de Intercâmbio: Programas Acadêmicos

1) High School

O programa de High School no exterior é um dos programas mais antigos de intercâmbio. Ele surgiu por meio de organizações civis como o Rotary Club após a Segunda Guerra Mundial.

O intercâmbio de High School pode ser contratado por meio de agências, que farão a intermediação com escolas públicas. O estudante pode se matricular diretamente em escolas particulares. E ele também é oferecido por organizações como Rotary e AFS. O estudante pode cursar o primeiro, segundo, terceiro anos do Ensino Médio. Outra opção é ir ao final do EM e estudar um semestre a mais (Europa, EUA ou Canadá).

high school no exterior intercâmbio

No intercâmbio High School, o adolescente pode estudar por um semestre ou um ano em um colégio no exterior. Em muitos casos o estudante cumpre o calendário acadêmico, fazendo provas e obtendo a revalidação dos estudos ao retornar ao Brasil. Optando por escolas particulares poderá estudar entre 3 meses aos 4 anos completos do Ensino Médio.

Na maioria dos casos os estudantes de High School ficam acomodados em casas de família. Também existe a opção de ficar hospedado no campus de algumas escolas. O tipo de escola, se pública ou particular, duração, custos e acomodação varia conforme o destino escolhido. Os destinos mais populares entre os brasileiros são: Estados Unidos, Canadá, Austrália, Nova Zelândia, Inglaterra e Suíça.

2) Graduação

Estudar a graduação completa no exterior pode ser muito interessante do ponto de vista curricular e profissional. Mais do que apenas um dos tipos de intercâmbio é a obtenção de um grau completo no exterior. Do ponto de vista curricular muitos países tem procurado se destacar em diferentes áreas do conhecimento. Existem cursos superiores no exterior que estão bem conectados com as demandas profissionais do futuro.

Já do ponto de vista profissional, fazer a Graduação no Exterior beneficia a uma enorme quantidade de estudantes, de diferentes áreas de estudo, para construir competências e ter rede de contatos em vários países. Não que isso não exista no Brasil, mas estudar no exterior sempre trará benefícios extras.

Agora, falando no seu bolso. Pode ser caro, mas é possível conseguir bolsa para a graduação em universidades americanas ou britânicas como Harvard e Oxford. Esta opção nem sempre está ao alcance de todos. Universidade de renome são muito competitivas e exigem um application muito alinhado ao perfil da universidade.

Existe também a possibilidade de estudar a graduação em países onde as universidades públicas são gratuitas como Argentina e Alemanha. Já em Portugal, Espanha e Itália as universidades custam menos que universidades particulares aqui como Portugal, Espanha e Itália.

Alguns processos de candidatura para a graduação no exterior são complexos. Muitas vezes será necessário se preparar para as provas de admissão ou teste de línguas. Hoje, já é possível encontrar muitos cursos preparatórios e livros no Brasil.

3) Intercâmbio na Graduação

Uma opção viável para estudantes de universidades públicas ou particulares brasileiras é fazer intercâmbio durante o seu curso de graduação. Nele o estudante pode estudar por um tempo em uma instituição de ensino superior parceira no exterior. Os responsáveis por organizar este tipo de intercâmbio são a coordenação de curso. Também podem ser organizados pela assessoria de relações internacionais da sua faculdade.

Se quiser fazer um intercâmbio de graduação se informe sobre os requisitos para participar logo no início do seu curso. Em alguns casos a universidade aprova somente alunos com uma média pré-esipulada ou certo nível de proficiência em idioma estrangeiro. Então, quanto antes souber os requisitos, mais tempo você terá para se preparar. Por haver acordo entre as universidades, a validação de créditos cursados é possível. Devem ser cursadas disciplinas equivalentes e recomendadas pela coordenação de curso.

graduação no exterior

No caso do intercâmbio de graduação é importante verificar se há reciprocidade de tarifas. Caso contrário, será necessário pagar as tarifas universitárias durante o intercâmbio, seja para a sua universidade de origem ou para a universidade que está te recebendo. Além disso, programe-se para custear sua estadia, alimentação e transporte.

Você pode também fazer intercâmbio na graduação como free-mover ou visiting student. Neste caso você terá que trancar a sua faculdade e encontrar um faculdade no exterior que possa te receber como estudante temporário. Este é um tipo de intercâmbio é bastante desconhecido do público brasileiro, mas muito comum nos EUA e Europa.

4) Diploma Duplo

Neste tipo de Graduação, o estudante faz parte da faculdade aqui no Brasil e parte em universidade parceira no exterior. Sendo assim o estudante que concluir com sucesso as duas etapas da graduação obtém dois diplomas um brasileiro e outro de sua universidade no exterior.

A oferta deste diploma duplo têm crescido no mundo todo, especialmente na Ásia. São poucas as universidades brasileiras que oferecem Duplo Diploma no Brasil entre elas USP, UFRGS, Unesp, UFRJ, FGV e Puc-RJ. A grande maioria delas oferece este tipo de curso em engenharia mas ainda há cursos em economia, psicologia, administração, direito e telecomunicações.

5) Pós-graduação

A pós-graduação no exterior varia muito conforme o país de escolha ou o tipo de grau desejado. Em linhas gerais o que encontramos com mais frequência são Especializações, Mestrados e Doutorados.

mestrado no exterior, doutorado no exterior

Para pós-graduação no exterior exige-se um alto nível de domínio do idioma de instrução. Se este não for o inglês, é recomendável ter inglês avançado pois muita literatura de referência e produção científica está nesta língua. São amplos os campos de conhecimento e pesquisa que poderão ser estudados e desenvolvidos no exterior.

5.1) Especialização

As especializações podem durar entre 3 meses a um ano, sem quaisquer requisitos especias de admissão além da graduação concluída. De forma geral tendem a ser cursos mais caros pois vão pontuar um tema corrente e específico. Em contra-partida por ter uma duração menor você gastará menos com acomodação e hospedagem e pode até negociar um afastamento temporário do seu trabalho no Brasil e retornar.

5.2) Mestrado

Para o mestrado, um grau que pretende desenvolver um nível avançado de análise, avaliação crítica e aplicação profissional de um tema de estudo, exige-se uma candidatura mais específica. A candidatura varia conforme o programa e a universidade. Na maioria dos casos não necessita de apresentação de projeto de pesquisa antes do início do programa.

As candidaturas para mestrado no exterior exigem uma carta de motivação. Outros requisitos são teste de idiomas, cartas de recomendação, currículo e provas de conhecimentos com o GRE e o GMAT. Tem outros textos aqui no blog que explicam sobre estes requisitos.

Os mestrados no exterior são excelentes para profissionais que querem dar um gás na carreira. Quem quer mudar de rumo pode estudar um novo assunto ou ingressar na vida acadêmica. Para quem quer renovar os ânimos, adicionar novos conhecimentos e ampliar o networking fazem parte do “pacote”.

5.3) Doutorado

No doutorado, o grau mais alto de especialização acadêmica, onde deve-se desenvolver um projeto original de pesquisa e elaboração de uma tese. É necessário candidatar-se ao programa com um projeto de pesquisa delineado.

É muito comum que o doutorado seja subsidiado e os pesquisadores podem se candidatar a diverso tipo de bolsas. A candidatura para o doutorado é realizada, muita vezes, diretamente com o departamento de pesquisa.

As possibilidade de uma carreira acadêmica internacional são reais para quem faz doutorado no exterior. Além disso, fazer doutorado fora ajuda na produção científica brasileira e estimula a troca de conhecimento e mobilidade dos pesquisadores.

6) Curso Técnico

Alguns países como Canadá e Nova Zelândia, por exemplo, oferecem pontos de imigração para estudantes que obtenham qualificação profissional em áreas do conhecimento que estão em falta.

Os cursos técnicos duram de 1 a 3 anos e focam em habilidades técnicas de aplicação imediata no mercado de trabalho. Não necessariamente as áreas em que há falta de profissionais garantirão empregos. Também não é possível afirmar que caso você deseje estudar um curso em outra área não conseguirá emprego ou direito à imigração.

Para consultar a lista de profissões em falta entre nos sites oficiais de cada país e pesquise as profissões, depois disso pesquise os cursos técnicos oferecidos por lá. Consulte também as condições para imigração que normalmente são: faixa etária, fluência no idioma, experiência de trabalho na área e ter o valor para pagar pelo curso.

Tipos de Intercâmbio: Programas Culturais

7) Idiomas

Os programas de estudos de idiomas no exterior são uma das formas mais populares de intercâmbio. Hoje é muito fácil encontrar agências especializadas e escolas de idiomas que têm representantes no Brasil. Também é possível contratar tudo pela internet diretamente com escolas no exterior.

Os destinos para estudar idiomas são os mais variados, de Norte a Sul, de Leste a Oeste. Aprender o idioma onde ele é oficial sempre vale a pena. A duração do programa de idiomas é variável, a partir de duas semanas, com várias datas de início durante o ano.

8) Idiomas por idade

Algumas escolas têm programas de idiomas específicos por idade ou perfil. Bons exemplos são turmas Kids, para crianças a partir de 7 anos viajando desacompanhadas dos pais; Teens, para adolescentes a partir de 11 anos; Family, para famílias com crianças a partir de 5 anos; Programa 30+ e Programa 50+, para adultos que querem iniciar ou retomar os estudos de um idioma no exterior.

9) Idiomas para profissionais

Os programas de idiomas para profissionais é um dos tipos de intercâmbio que mais agrada ao público acima dos 30 anos. Eles oferecem a possibilidade de expansão de vocabulário técnico-profissional e em muitos casos o desenvolvimento de competências relacionadas ao uso do idioma na profissão como técnicas de apresentação, condução de reuniões e desenvolvimento de networking com outros profissionais da mesma área.

Alguns exemplos de programas de idiomas para profissionais são English for Academic Purposes, Legal English e Aviation English, mas não se esgotam aí. Com uma pesquisa minuciosa é possível encontrar ou montar um programa personalizado em qualquer área profissional e qualquer idioma, proporcionando imersão e desenvolvimento profissional para que o estudante possa evoluir em sua carreira.

10) Preparatórios para testes

Curso Preparatório para Exames: TOEFL, IELTS, GRE, GMAT, SAT, ACT, TCF, Teste DaF, Delf, DELE, SIELE… E qualquer outra sigla que represente um exame necessário para entrar em uma universidade no exterior pode ter um curso preparatório oferecido no exterior.

A vantagem em fazer cursos preparatórios no exterior é que o estudante está em imersão e em alguns casos pode se afastar um pouco das distrações que a sua vida “normal” no Brasil traz e focar na preparação.

A desvantagem em fazer cursos preparatórios no exterior é o custo, in-loco é preciso arcar com os custos de investimento no curso, acomodação, alimentação, passagem aérea e outros custos associados a esta viagem.

Hoje já podemos encontrar no Brasil excelentes programas de preparação testes presenciais e on-line, a escolha entre fazer o preparatório aqui e no exterior depende do orçamento disponível, tempo de dedicação e método preferido.

Tipos de Intercâmbio: Programas de Trabalho

11) Work and Travel

Entre os vários tipos de intercâmbio este é uma opção viável para quem está com a grana mais curta e na faixa etária entre 18 e 30 anos é tentar um dos vários programas de trabalho remunerado no exterior. Eu mesma, quando estava na faculdade, fiz o programa de trabalho de férias na Disney World.

disney college program, disney icp, work and travel
Eu e as minhas colegas de apartamento.
Programa de Work and Travel – Disney International College Program

É importante lembrar que a maioria destes programas de trabalho no exterior são organizados por agências de intercâmbio e que há também a possibilidade de fazer alguns deles sem agências. É mais importante ainda ficar atento ao tipo de programa, legalidade da atividade no país, tipo de visto correto e se as informações que estão sendo passadas por famílias (host family) ou empresas são seguras e verdadeiras.

Entre todos os tipos de intercâmbio ou estudos no exterior citados neste post é aqui nesta opção que mais problemas podem ocorrer. Para não cair em golpe não se apresse para fechar nada que você não esteja checando bem a fundo e tudo muito bem documentado por email como nomes, telefones de contato além de contratar um seguro viagem.

12) Au Pair

Au Pair: é um programa de duração de 6 meses a um ano em que a pessoa se hospeda em uma casa de família com crianças, ou em alguns casos com idosos, e realiza os cuidados e atividades diárias. É um programa de imersão cultural remunerado. Nas horas de folga, as Au Pairs podem estudar e viajar.

Os países que tem a melhor estrutura para o programa de Au Pair são: Estados Unidos, Canadá, França, Áustria, Alemanha e Holanda. Muitas famílias ou até mesmo o programa pede exclusivamente por mulheres, mas há opção para homens também.

13) Work and Study

O intercâmbio de Work and Study é um dos tipos de intercâmbio de trabalho e estudo mais procurados por quem está com a grana mais curta. Há países que só oferecem este tipo de programa para alunos universitários matriculados nas universidades do país, como EUA, Alemanha, França por exemplo. Há países como a Irlanda e a Austrália em que estudantes dos cursos de idiomas também podem trabalhar e estudar.

Alguns países fazem restrição quanto ao tipo de trabalho que o estudante pode executar. Nos EUA, por exemplo, o estudante universitário só pode trabalhar no Campus de sua universidade, até 20 horas semanais. Na Alemanha, os estudantes internacionais (sem o passaporte europeu) podem trabalhar até 180 horas por mês em turnos de meio período ou 90 horas por mês em turnos integrais.

Tipos de intercâmbio: qual escolher?

Neste post te apresentei 13 tipos de intercâmbio. Você já conhecia algum deles? Já fez algum dos intercâmbios ou cursos no exterior que listei? Qual você quer fazer?

intercâmbio, graduação no exterior, mestrado no exterior

Só pra revisar tudo, neste post falei de:

  • High School
  • Graduação
  • Diploma Duplo
  • Pós-graduação (mestrado, doutorado e especialização)
  • Curso Técnico
  • Idiomas
  • Idiomas por idade
  • Idiomas para profissionais
  • Preparatórios para Testes
  • Work and Travel
  • Au Pair
  • Work and Study

Este foi só um aperitivo das informações completas que o Viajar pra Estudar vai trazer sobre todos estes tipos de intercâmbio e programas de estudo no exterior. Se ficou alguma dúvida, comente aqui. Se você gostou ou gostaria de ver algo diferente, deixe o seu comentário que vou adorar saber.

Então, é isso aí! Um beijo e até a próxima.

PS: Salve a imagem abaixo no Pinterest para guardar este post.

13 tipos de intercâmbio

Tags: | | | | | | | | | | | | | | | | | | | | | | | | | | |

Sobre o Autor

0 Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *